A energia cinética das deslocações das massas de ar pode ser convertida em energia mecânica (aeromotores) e energia eléctrica (turbinas eólicas e aerogeradores).

No entanto, a sua intensidade e a sua direcção encontram-se dependentes de vários factores:

  • Densidade do Ar – Quanto “mais pesado ou denso” for o ar, maior será quantidade de energia recebida pela turbina.

  • Área de Varrimento do Rotor – A área de varrimento determina a quantidade de energia do vento que a turbina eólica é capaz de captar. Uma turbina duas vezes maior, recebe quatro vezes mais energia

  • Desvio do Vento – Como a turbina desvia o vento antes de este chegar ao plano do rotor, nunca será possível captar toda a sua energia. De acordo com a Lei de Betz, só se pode converter 59% da energia cinética em energia mecânica ao utilizar um aerogerador.

Mas supondo que nos encontramos em condições favoráveis de vento, como é produzida energia eléctrica através da energia cinética do vento?

Devido ao movimento das hélices, o eixo principal vê-se obrigado a girar. Aerogeradores - produção de energia eléctricaEntre o eixo principal e o eixo do gerador encontra-se um conjunto de engrenagens, que irá amplificar o número de rotações sentidas pelo gerador.

O gerador irá depois aproveitar tais rotações mecânicas para aproximar e afastar uma bobina metálica de um íman que, por indução, gera electricidade. Depois de produzida, a electricidade possuirá uma voltagem trifásica de 380 V, apresentando-se em corrente alterna (CA).

Caso se pretenda armazenar a energia eléctrica produzida, esta é convertida em corrente contínua (CC) e encaminhada para baterias. Caso se pretenda injectar a electricidade na rede eléctrica, esta terá de passar primeiro por um transformador, estando depois apta a ser transportada a longas distâncias.